Gaudium news > Santíssimo Sacramento: um presente que seria tolice recusar ou negar

Santíssimo Sacramento: um presente que seria tolice recusar ou negar

Temos que tirar a Jesus Eucarístico do esquecimento para recolocá-LO no topo da sociedade cristã para que a dirija e a salve. (São Pedro Julião Eymard)

Redação (19/11/2022 09:56, Gaudium Press) O “Diretório sobre Piedade Popular e Liturgia, Princípios e Orientações” é um importante documento, publicado pelo Dicastério para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos em 2002. Estas instruções estão permanentemente em vigor e merecem todo o respeito. Vejamos o número 165, que diz respeito à Adoração ao Santíssimo Sacramento.

A adoração ao Santíssimo Sacramento pode ser realizada de várias maneiras:

 – uma simples visita ao Santíssimo Sacramento reservado no Sacrário:  um breve encontro com Cristo, motivado pela Fé na Sua Presença, e caracterizado pela oração silenciosa;

– Adoração diante do Santíssimo Sacramento exposto: exposto, segundo as normas litúrgicas, no ostensório ou na píxede, por tempo prolongado ou breve;

 – a chamada Adoração Perpétua ou de Quarenta Horas, que envolve toda uma comunidade religiosa, uma Associação Eucarística ou uma comunidade paroquial, ocasião para numerosas expressões de piedade eucarística.

Para estes momentos de Adoração, os fiéis devem ser encorajados a usar a  Sagrada Escritura  como um incomparável livro de oração; empregar hinos e orações apropriados; familiarizar-se com algumas estruturas simples da Liturgia das Horas, seguindo o ano litúrgico; permanecer em oração silenciosa. No entanto, devido ao estreito vínculo que une Maria a Cristo, a recitação do Rosário pode dar à oração uma profunda orientação cristológica, meditando os mistérios da Encarnação e da Redenção.

Benefícios da Adoração Eucarística

Cinquenta anos atrás, Richard Auciello estava limpando o interior da Igreja de Santo Antônio antes da Missa das Vésperas e às vezes – ele não era católico na época – parava de trabalhar e apenas se sentava no banco e rezava. Embora não desejasse se tornar católico, ele sabia que estava em um lugar sagrado. Ele estava em busca de paz, orientação e um sentido para sua vida. Ele era solteiro, jovem e estava perplexo com alguns fatos “da vida”. Sobretudo, ele precisava de uma relação mais próxima com Deus sem saber como fazê-lo.

 Naquela época, a sua oração consistia em ação de graças ou petição ou uma combinação dos dois, mas era sempre uma via de mão única; onde Deus não se comunicava de volta. Para sua surpresa, naquele dia, Jesus respondeu à sua oração.

Porém, nesse primeiro encontro com Cristo, ele não tinha ideia do que estava acontecendo; ele só sabia que alguém mais estava na igreja naquele dia e estava entrando em comunicação com ele. Richard teria ficado com medo se a mensagem tivesse sido entregue sem paz e tranquilidade interior. Embora ele pudesse ouvir a voz claramente, ele não conseguia discernir de onde vinha, nem se a pessoa estava perto ou longe. Mas alguém estava falando com ele de forma calma e racional; a mensagem foi recebida com compreensão e transmitida com paz e tranquilidade.

Esse primeiro encontro com Cristo o impressionou e surpreendeu tanto que ele parou de rezar, levantou-se e olhou em volta à procura da “outra pessoa”. Não encontrando ninguém, ele começou a procurar em todos os lugares desde o porão até o campanário. E dali, ficou olhando para fora e vendo a beleza da pequena cidade onde ele morava com seu conjunto de casas coloridas e prédios levemente cobertos pela neve daquele dia, e percebeu que sua busca estava completa e permanecia sem solução.

Este foi um marco em sua vida e o início de sua caminhada para se tornar católico. Por algumas semanas, ele continuava a se sentar na igreja e desfrutava dessa comunicação bidirecional com o estranho benevolente que não apenas lhe deu ótimos conselhos – conselhos que ele poderia usar em sua vida cotidiana – mas também lhe deu paz e serenidade de alma.

Em suas próprias palavras, Richard atesta: “Sem dúvida, a Adoração Eucarística, as frequentes horas santas e a oração constante a Jesus no tabernáculo continuaram durante minha instrução e continuam até hoje, quase cinquenta anos depois. Durante a oração, geralmente ouço a “voz de Deus”. Mas agora está dentro de mim, curando-me e guiando-me, sempre em paz, uma paz alegre que me permite saber que Deus está ali, e por esses dons, sou verdadeiramente grato”.

Brasil

Um segundo exemplo é daqui do Brasil. A Rede Marajó, rede de postos de combustíveis, construiu sete capelas em seus postos com o Santíssimo Sacramento no sacrário, porque “a fé é o primeiro valor da nossa empresa”, segundo as palavras de Janeth Vaz, diretora da Rede Marajó.

Ela explica: “Esse oásis já salvou pelo menos dois caminhoneiros do suicídio”. O primeiro caminhoneiro chegou ao posto em Nova Olinda, à noite “muito desesperado” e “com uma arma” porque “queria tirar a própria vida”. Ao avistá-lo, o vigia noturno levou-o à capela de Nossa Senhora das Graças, e ele permaneceu um tempo ali.

 “Quando saiu estava completamente diferente e não tinha mais a intenção de se suicidar, e disse que ia até se desfazer da arma”, lembrou a proprietária.

 O outro caso, mais recente, ocorreu em Belém, na capela de Nossa Senhora de Nazaré. Um sacerdote da região passou pelo local e “pensou que a luz do sacrário havia se apagado”, então ele entrou na capela para acendê-la e viu um homem chorando.

“O padre se identificou e perguntou se poderia ajudá-lo. O homem contou que havia entrado na capela com a ideia de tirar a própria vida, mas disse a Deus: ‘Se eu encontrar aqui um padre que ouça minha confissão, mudarei de ideia’. E, nesse momento, o sacerdote entrou na capela. Após uma conversa e oração, ele mudou de ideia”, contou Janeth.

Diversas vezes, a desculpa para não ir adorar o Santíssimo Sacramento é a “falta de tempo”, todavia, gastamos nosso tempo em coisas de relativa pouca importância. Por que não empregar mais o nosso tempo com Jesus Sacramentado? Se não pudermos estar fisicamente em uma capela com o Santíssimo exposto, voemos com a nossa imaginação e alma, e adoremos a Ele à distância no Seu Sacramento de amor!

Com informações catholicstand.com.

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas