Gaudium news > Religiosas rezam por mais de 15 mil fiéis desde o início da pandemia

Religiosas rezam por mais de 15 mil fiéis desde o início da pandemia

As religiosas de clausura pediram que lhes fossem enviadas intenções de oração, até o momento já receberam sete mil e-mails com nomes de mais de 15 mil fiéis.

Espanha – Sevilha (05/05/2020 12:00, Gaudium Press) A Irmã Rocío Goncet, religiosa dominicana do Mosteiro de Santa Maria la Real em Sevilha, Espanha, reportou à revista espanhola ‘Alfa y Omega’ que sua comunidade de clausura tem tido um notável êxito em uma convocatória de intenções de oração durante a pandemia de coronavírus. Ao pedir que se encomendassem às suas orações pessoas concretas, receberam sete mil e-mails com nomes de mais de 15 mil pessoas.

(Leia também: Santuário de Lourdes é pulmão de oração diante da pandemia de coronavírus)

“Ficamos impressionadas”, confessou a religiosa, que afirmou que a comunidade recebeu apoio de outros mosteiros, como o das Concepcionistas Franciscanas de Goa, Índia. “A ideia era encomendar a cada Irmã uma intenção de oração concreta, mas estão chegando muito mais e-mails que o número de religiosas que participam da iniciativa”.

Unidas em oração de dentro da clausura

Isso não significa que os fiéis ficaram sem ter quem ore por eles. As intenções agora são comunitárias e todos os mosteiros oferecem suas orações por elas. Os pedidos de oração vieram de vários países como Alemanha, Reino Unido e Itália, na Europa. Mas também escreveram numerosos fiéis em países como México, Argentina, Venezuela e Canadá.

As orações não são apenas terrenas. De acordo com a Irmã Goncet, Superiora da comunidade das Oblatas de Cristo Sacerdote de Huelva, Irmã Pilar Adámez, faleceu no dia 28 de abril, após contrair o vírus. A religiosa também se uniu à iniciativa e terminou sua vida “rezando por aqueles que nos pediram orações”.

(Leia também: Papa Francisco reza pelos que morreram por coronavírus)

“Ainda não consideramos o que acontecerá com a corrente de oração quando a pandemia terminar”, concluiu a Irmã Goncet. “Mas se criou uma bela fraternidade entre as pessoas e as comunidades e isso não acabará tão facilmente”. (EPC)

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas