Gaudium news > Vaticano e França comemoram 100 de reconciliação diplomática

Vaticano e França comemoram 100 de reconciliação diplomática

O Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Parolin, e o Primeiro Ministro francês, Jean Castex se reuniram para comemorar o centenário do restabelecimento das relações diplomáticas entre a Santa Sé e a França

Vaticano (19/10/2021 10:30, Gaudium Press) Em 1921, a França estabeleceu suas relações diplomáticas com a Santa Sé. Para comemorar a data, o Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Pietro Parolin e o Primeiro Ministro francês, Jean Castex, se reuniram na embaixada francesa, ontem, 18 de outubro.

O Cardeal Parolin relembrou o começo conturbado do século XX, mas afirmou que depois de 1921 as relações entre o Vaticano e a República Francesa foram cordiais e de estima recíproca.

Pontos de comum interesse: direitos humanos, paz mundial, etc.

Apesar das diferenças existentes em relação à laicidade francesa, os dois chefes de estado preferiram abordar assuntos de comum interesse, tais como, os direitos humanos, a promoção da paz mundial, a proteção das minorias religiosas, etc.

O Oriente-Médio parece ser o lugar onde mais se nota a colaboração diplomática dos dois estados: o estabelecimento da paz na região e o respeito pelos direitos fundamentais do ser humano são algumas das preocupações da Santa Sé e da França.

Assim explicou o Cardeal: “Fundamentalmente a França e a Santa Sé dividem responsabilidades globais, mesmo se nós as exercemos de maneiras e com objetivos diferentes”.

Sobre os abusos sexuais 

A polêmica a propósito dos abusos sexuais na Igreja não ficou de fora dos assuntos abordados. O Secretário de Estado disse que o compromisso da Igreja na França será mais forte e determinado “em total colaboração com as autoridades civis, respeitando a natureza, a missão e a estrutura sacramental que são próprias à Igreja”.

Jean Castex respondeu que compete à Igreja as respostas adequadas sobre o assunto e afirmou que “A separação da Igreja e do Estado, não é em nenhum caso a separação da Igreja e da lei”.  (FM)

Com informações de VaticanNews.

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas