Gaudium news > Três novos cônegos são instituídos na Arquidiocese de São Paulo

Três novos cônegos são instituídos na Arquidiocese de São Paulo

Durante a cerimônia, os novos membros receberam das mãos do Cardeal, o barrete e o anel distintivo dos cônegos.

(Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

Redação (07/03/2022 12:19, Gaudium Press) No último domingo, 6 de março, o Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer presidiu uma celebração litúrgica na qual instituiu três novos cônegos do Cabido Metropolitano de São Paulo: Padre Aparecido Silva, Padre José Arnaldo Juliano dos Santos e Monsenhor Cícero Alves de França.

Durante a cerimônia, que contou com a presença de outros membros do Cabido e demais sacerdotes da Arquidiocese, os novos membros receberam das mãos do Cardeal, o barrete e o anel distintivo dos cônegos.

O que é Cabido?

A instituição eclesiástica que reúne cônegos é chamada de Cabido. O termo vem do latim ‘capitulus’ e quer dizer, ‘sob uma mesma cabeça, chefe ou superior’. De acordo com o Código de Direito Canônico, é o “colégio de sacerdotes ao qual compete realizar as funções litúrgicas mais solenes na igreja catedral ou colegiada; além disso, compete ao cabido da catedral desempenhar funções que lhe são confiadas pelo direito ou pelo Bispo diocesano” (cân. 503).

Criado durante a fundação da Diocese de São Paulo, realizada no ano de 1745, o Colendo Cabido Metropolitano de São Paulo tem a função de zelar pela Catedral Metropolitana Nossa Senhora Assunção de São Paulo.

Funções do Cabido

O Cardeal Odilo destacou que, apesar do Cabido de São Paulo ter adquirido funções diferentes ao longo da história, ele continua sendo parte da dignidade da Catedral, igreja-mãe da Arquidiocese. “Os cônegos formam o grupo de sacerdotes que de maneira especial tem a missão de ajudar a dar vida, a manter a Catedral como a ‘casa da mãe’”, explicou.

Os estatutos do Cabido foram atualizados em 2016, à pedido do Arcebispo de São Paulo, que também pediu que fosse elaborado um regimento interno do Cabido Metropolitano. Os novos estatutos estabeleceram apenas duas categorias de cônegos: catedráticos e eméritos (para os que chegam aos 80 anos), dessa forma foi extinta a categoria de cônego honorário. Atualmente, são 14 cônegos catedráticos e 7 eméritos.

(Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

Quem são os novos Cônegos?

Nascido no dia 6 de fevereiro de 1960 na cidade de Patos de Minas (MG), o Cônego Aparecido Silva foi ordenado sacerdote em 15 de fevereiro de 1992, pelo Cardeal Paulo Evaristo Arns, então Arcebispo de São Paulo. Na Arquidiocese, exerceu o ministério em diversas paróquias da Região Episcopal Sé, onde foi Coordenador de Pastoral e Vigário Episcopal. Atualmente, é Pároco da Paróquia Santíssimo Sacramento, no Paraíso, e Vigário-Geral Adjunto da Região Sé.

Já o Cônego José Arnaldo Juliano dos Santos nasceu em São Paulo no dia 2 de março de 1951, sendo ordenado sacerdote em 3 de novembro de 1985, também pelo Cardeal Paulo Evaristo Arns. Atuou pastoralmente em diversas paróquias da Arquidiocese, foi formador no seminário arquidiocesano em diferentes períodos e professor da Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção (PUC-SP). Atualmente, é Pároco da Paróquia São Cristóvão e Capelão do Mosteiro da Luz, ambos na região central; é perito e um dos relatores do sínodo arquidiocesano de São Paulo.

O Cônego Cícero Alves de França nasceu em Cajazeiras (PB), em 13 de março de 1975. Foi ordenado sacerdote em 7 de março de 2004, pelo Cardeal Cláudio Hummes, atual Arcebispo Emérito de São Paulo. Desempenhou o ministério presbiteral em diversas paróquias da Arquidiocese. Desde 2010, é Reitor do Seminário de Teologia Bom Pastor e, desde 2016, também é colaborador na Paróquia Assunção de Nossa Senhora, no Jardim Paulista. Também é professor da Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção (PUC-SP).

Cônego e futuro Bispo

Uma curiosidade sobre o Cônego Cícero é que ele exercerá esse novo ofício por um breve período, pois, no dia 3 de março de 2022, foi nomeado pelo Papa Francisco como Bispo Auxiliar de São Paulo. Como sua indicação e nomeação para o Cabido Metropolitano foi anterior a nomeação episcopal, o cardeal manteve a investidura canônica, para ressaltar que o Santo Padre escolheu um membro do Cabido para o episcopado. (EPC)

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas