Gaudium news > São Lourenço, mártir

São Lourenço, mártir

A Igreja celebra hoje, 10 de agosto, a festa de São Lourenço, diácono e mártir católico durante o Império Romano de Valério.

Redação (10/08/2022 08:44, Gaudium Press) São Lourenço, o santo espanhol, também conhecido como Lourenço de Huesta ou Valência, nasceu em 225. Para completar seus estudos humanistas e litúrgicos, foi enviado, ainda jovem, para a cidade de Cæsaraugusta (hoje Zaragoza), onde conheceu o futuro Papa Sisto II.

Este o estabeleceu como o primeiro dos sete diáconos ligados ao serviço da Igreja Romana. Nessa função, ele tinha a custódia do tesouro da igreja e era responsável por distribuir parte de sua renda aos pobres. O nome Lourenço é o mesmo que Laureamtenens, que significa Coroa feita de Louro, como os vencedores recebiam após suas vitórias. São Lourenço foi ajudante do Papa Sisto II e responsável por um centro dedicado aos pobres.

Martírio: testemunho de fé

Em 257, os cristãos começaram a ser perseguidos e mortos por ordem do imperador Valeriano I. Em 258, o Papa Sisto II foi decapitado. Ao caminhar para o lugar da execução, São Lourenço caminhava junto ao Papa e dizia: Aonde vai sem seu diácono, meu pai? Jamais oferecestes o sacrifício da missa, sem que eu vos acolitasse (ajudasse)! O Papa, comovido com essas palavras de dedicação filial, respondeu: Não estou te abandonando, meu filho! Deus reservou-te provação maior e vitória mais brilhante, pois és jovem e forte… Em três dias você me seguirá.

Depois da morte do Papa, o imperador exigiu que a Igreja lhe entregasse todos os seus bens, dentro de 3 dias. Vencido o prazo, São Lourenço presentou os pobres que eram acudidos pela Igreja e disse ao imperador: Estes são os bens da Igreja. Valeriano, então, com muita raiva, ordenou que Lourenço fosse queimado vivo.

Furioso, o prefeito ordenou a morte do Diácono, mas exigiu que fosse lenta e cruel. Despiram-no e deitaram-no sobre uma grelha, tendo embaixo brasas semi-acesas. Os que assistiam ao suplício viram o rosto do mártir rodeado de esplendor extraordinário.

O sacrifício de um mártir

De fato, o santo manteve a alegria no momento da execução, mostrando sua profunda fé na vida eterna, no encontro com Jesus Cristo. Por isso, no momento mais angustiante de sua vida – aos olhos do mundo – Lourenço, feliz, dizia aos soldados:

– Fazei-me virar. Já estou bastante assado desse lado.

Depois que o viraram, disse ainda:

– Está assado, podeis comer.

Olhando então ao céu, rogou a Deus pela conversão de Roma e expirou.

Uma multidão acompanhava o martírio de São Lourenço. E, no meio do povo, grande foi o número dos que se converteram a Jesus cristo ao verem o testemunho do jovem São Lourenço.

Senadores, convertidos pelo exemplo de sua constância, carregaram-lhe o corpo nas costas e o enterraram.

 São Prudentius, contemporâneo de Lourenço, confirmou este fato quando escreveu que o exemplo de São Lourenço levou vários romanos à conversão.

Ele foi sepultado no cemitério de Siriaca, em Agro Verão, na Via Tiburtina, em Roma, onde mais tarde foi erigida uma basílica em sua honra.

A basílica, por graça de Deus, que honra seus santos, foi construída por um outro imperador romano: Constantino.

Dois anos após o martírio de São Lourenço, Valeriano foi capturado pelos persas. O imperador romano morreu prisioneiro distante de Roma.

Deus ama os que sofrem; bem entendido, os que padecem com resignação, em união com Ele; o sofrimento é uma prova de predileção. Peçamos a São Lourenço que, em nossos sofrimentos, tenhamos a mesma serenidade e resignação que ele teve durante seu martírio.

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas