Gaudium news > Santa Catarina de Siena: filha predileta da Virgem Maria

Santa Catarina de Siena: filha predileta da Virgem Maria

Santa Catarina,  virgem, mística, profetisa e reformadora, foi guia espiritual e exorcista, conselheira de Papas e promotora da Cruzada!

Redação (29/04/2022 18:20, Gaudium Press) Santa Catarina de Siena nasceu em 1347, ano no qual irrompeu a terrível peste negra que reduziu a população europeia quase à metade, e veio a falecer em 1380, dois anos após o início do Grande Cisma do Ocidente, que se estenderia por quarenta anos. Esse longo e obscuro período caracterizou-se pelo enfrentamento de Papas e antipapas, o que semeou a confusão entre os fiéis.

A curta e intensa vida de Santa Catarina desenrolou-se, portanto, num momento de dramática desagregação da Cristandade. Leiga mantellata[1] da Ordem Dominicana, acumulou os títulos de virgem, mística, profetisa, reformadora, guia espiritual, exorcista, conselheira de Papas e promotora da Cruzada.

Essa panóplia admirável de dons sobrenaturais e qualidades humanas faz dela uma filha predileta da Virgem Maria, configurada à sua semelhança. Bem se pode afirmar que era a própria Mãe de Deus quem agia em Santa Catarina, conduzindo-a em todos os passos de sua vida.

Apesar de iletrada, ela influenciou os rumos da Igreja e favoreceu o retorno de Gregório XI, que se encontrava exilado em Avignon, a Roma. Possuindo sincera e entusiasta devoção ao Papado, jamais duvidou, entretanto, em apontar aos Pontífices, com filial reverência, as verdades mais amargas.

Promoveu a reforma da Ordem Dominicana por meio de seus escritos místicos, ditados por Deus Pai, nos quais censura com tristeza os horríveis pecados do clero e dos religiosos.

Constituiu em torno de si a bella brigata, um conjunto de frades dominicanos, virgens consagradas e outros fiéis que a seguiam como mestra e veneravam como mãe espiritual.

Com fina intuição profética, Catarina de Siena anunciou uma era de paz para o Corpo Místico de Cristo e para o mundo, num futuro longínquo. Em suas palavras se reconhecem os primeiros vaticínios sobre o Reino de Maria:

“Depois de todas essas tribulações e angústias, de um modo que escapa à compreensão humana Deus purificará a Santa Igreja e despertará o espírito dos eleitos. Haverá em seguida uma reforma tão grande na Igreja de Deus e uma tal renovação dos santos pastores, que meu espírito exulta no Senhor só de pensar nisso. […] Atraídos pelo bom odor de Cristo, os infiéis voltarão ao redil católico e se converterão ao verdadeiro Pastor”.

Em Santa Catarina brilharam com renovado fulgor a esperteza, a prudência e a sabedoria de Nossa Senhora, aplicadas à regência da História. Com efeito, o espírito marial que a animava dava-lhe a capacidade de transcender as contingências humanas, a ponto de se tornar o foco de luz do qual viveu a Igreja em seu tempo.

Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP

Texto extraído do livro Maria Santíssima! O Paraíso de Deus revelado aos homens, vol. III.


[1] Termo usado para designar as terciárias celibatárias de algumas Ordens Religiosas, assim chamadas por causa do hábito que portavam.

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas