Gaudium news > Sacerdote católico é libertado após ser sequestrado na Nigéria

Sacerdote católico é libertado após ser sequestrado na Nigéria

“Apenas 24 horas após seu sequestro, nosso amado irmão sacerdote foi libertado por seus sequestradores”, afirmou o chanceler da Diocese de Kafanchan.

Nigéria – Kafanchan (16/09/2021 09:55, Gaudium Press) O chanceler da Diocese de Kafanchan, Padre Emmanuel Uchechukwu, anunciou a libertação do sacerdote nigeriano que havia sido sequestrado na última segunda-feira, 13, em sua residência paroquial, no estado de Kaduna.

“Com o coração cheio de alegria, elevamos nossas vozes em uma sinfonia de louvores ao anunciar o retorno de nosso reverendíssimo Padre Benson Bulus Luka. Apenas 24 horas após seu sequestro, nosso amado irmão sacerdote foi libertado por seus sequestradores”, afirmou Uchechukwu.

Oração pela libertação das outras vítimas deste sequestro

O Padre Uchechukwu aproveitou para agradecer aos fiéis que rezaram pela libertação do sacerdote sequestrado. “Queremos agradecer a todos aqueles que ofereceram orações e súplicas pela rápida libertação de nosso irmão sacerdote e de outras pessoas que ainda estão no poder dos sequestradores”, disse.

Por fim, o chanceler da Diocese de Kafanchan encorajou os padres a celebrarem missas de ação de graças após a libertação do Padre Luka e também pedindo a Deus “para que apresse a libertação daqueles que ainda estão nas mãos de seus captores. Que Nossa Senhora de Guadalupe interceda por nós e por todos aqueles que ainda estão em cativeiro”, concluiu.

Bispos católicos nigerianos condenaram o aumento da violência no país

Em comunicado datado de 26 de agosto, os Bispos católicos da Nigéria condenaram o aumento de sequestros, assassinatos e destruição de propriedades. “As mortes nas mãos de sequestradores, pastores assassinos, bandidos e grupos terroristas tornaram a Nigéria um dos países mais aterrorizados do mundo”, destacaram.

Os prelados do país conclamaram o governo federal a “mostrar mais compromisso estratégico e sinceridade nesta luta e assumir total responsabilidade pela atual cultura de violência e impunidade no país. O governo deve ser equilibrado e visto como tal em sua resposta aos desafios da insegurança em todos os segmentos da cidadania”. (EPC)

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas