Gaudium news > Por que um par de rolas ou dois pombinhos?

Por que um par de rolas ou dois pombinhos?

A Lei ordenava aos casais mais pobres oferecerem ao menos “um par de rolas ou dois pombinhos” (Lc 2, 24) como sacrifício ao Senhor.

Apresentacao do Menino Jesus no Templo

Redação (02/02/2023 09:34, Gaudium Press) Hoje, na Festa da Apresentação do Menino Jesus no Templo e a Purificação de Maria, os comentaristas tecem belíssimas ponderações sobre o acontecimento analisando-lhe os mais diversos aspectos, mas neste artigo nos deteremos somente num detalhe cheio de significado.

A Lei ordenava aos casais mais pobres oferecerem ao menos “um par de rolas ou dois pombinhos” (Lc 2, 24) como sacrifício ao Senhor. E não é por acaso que estas duas aves estavam prescritas.

São Cirilo explica que a rola é a mais loquaz dentre elas e a pomba a mais mansa. Nosso Senhor quis simbolizar assim que Ele praticaria nesta terra a mais perfeita mansidão e faria ressoar sua voz harmoniosa para atrair o mundo ao seu Coração misericordioso.

São Beda, por sua vez, reflete sobre as virtudes que estas aves representam: a pomba, a simplicidade; a rola, a castidade. Se a rola, porventura, vier a perder seu par, não irá à procura de outro. Já em seus primeiros dias Cristo desejou manifestar predileção pela virtude da pureza, por meio destes dois animaizinhos.

Rolas e pomba

Outro belo simbolismo está no fato de que, sendo a pomba gregária, representa a vida ativa, enquanto a rola, por viver sozinha, evoca a contemplação. Mas este isolamento, acrescido da sua loquacidade, torna-a imagem da pregação e da confissão da fé. Ambas as vias foram praticadas pelo Salvador e conduzem, cada uma a seu modo, à santificação dos homens.

São Beda ressalta ainda que esses dois animais, por seu hábito de arrulhar, exprimem os prantos atuais dos santos. A rola simboliza as lágrimas ocultas das orações; a pomba, vivendo em bandos, figura as orações públicas da Igreja.

Ora, São Lucas não diz no seu Evangelho se foram rolas ou pombinhos os animais oferecidos ao Senhor pela Sagrada Família… Dessa forma, segundo São Beda, o Espírito Santo deixa insinuado que não se deve dar preferência à vida contemplativa sobre a ativa, ou vice-versa, posto que ambas agradam a Deus e por elas devemos todos seguir.

Levemos em conta, porém, que as rolas ou pombinhos oferecidos pelo Menino Jesus, antes de serem entregues nas mãos do sacerdote, repousavam nas mãos do Patriarca São José e eram contemplados pelo sereno olhar da Virgem Maria. Isso nos convida a anelarmos viver sempre sob a custódia e o amparo desse santíssimo casal, pois assim nossa existência será, embora pobre em méritos e virtudes, uma agradabilíssima oferta de adoração e louvor.

Texto extraído, com pequena adaptação, da Revista Arautos do Evangelho n. 230, fevereiro 2021.

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas

  • A hora da colheita

    Assim como as sementes produzem frutos para o sustento e alegria dos homens, do mesmo modo cabe ao gênero humano acolher a semente da Palavra de De...

    Mais
  • Bem-aventurada Albertina Berkenbrock

    No dia 15 de junho, celebra-se a memória da Beata Albertina Berkenbrock,  assassinada aos doze anos em São Luís, Estado de Santa Catarina, por d...

    Mais