Gaudium news > Por que não comer carne na Sexta-Feira Santa?

Por que não comer carne na Sexta-Feira Santa?

Confira por que e quem tem obrigação de fazer jejum e abstinência na Sexta-Feira Santa

Bonnefantenmuseum - Vismarkt - navolger van Joachim Beuckelaer

Redação (Sexta-feira, 09-04-2020, Gaudium PressO costume de não se comer carne na Sexta-feira Santa é amplamente conhecido, inclusive pelos que não costumam frequentar a Igreja Católica. Normalmente, nas refeições deste dia a carne é substituída pelo peixe. Mas qual o motivo desse costume?

Diferença entre jejum e abstinência

É importante recordar que na Sexta-feira Santa, além da abstinência de carne, a Igreja estabelece o jejum como prática penitencial para todos os católicos. Segundo o Código de Direito Canônico (c. 1249-1253), “o jejum consiste na privação de alimentos” e “a abstinência consiste na escolha de uma alimentação simples e pobre, abstendo-se de carne”.

Tradicionalmente se prescreve que nessa ocasião se faça apenas uma refeição completa durante o dia (como o almoço). Permite-se tomar duas pequenas refeições (como o café da manhã e o jantar).

Para quem o jejum e a abstinência de carne são obrigatórios?

A abstinência de carne na Sexta-feira Santa é obrigatória para os maiores de 14 anos; e o jejum, para os que tiverem completado 18 anos até os 59 anos de idade, no entanto, qualquer pessoa pode jejuar, mesmo fora dessa faixa etária. Essas práticas penitenciais, sobretudo o jejum, não são obrigatórias para os enfermos e grávidas.

De acordo com o número 1253 do Código de Direito Canônico, “a Conferência Episcopal pode determinar com mais detalhes o modo de observar o jejum e a abstinência, assim como substituí-los em todo ou em parte, por outras formas de penitência, especialmente por obras de caridade e práticas de piedade”.

Por qual motivo praticar o jejum?

São Tomás de Aquino explica que praticamos o jejum por três motivos. Primeiro, para reprimir as concupiscências da carne. Segundo, para mais livremente elevar nossa alma na contemplação das sublimes verdades. E em terceiro lugar, como satisfação por nossos pecados. (EPC)

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas