Gaudium news > Polícia impediu cerimônia da Sexta-Feira Santa em Londres

Polícia impediu cerimônia da Sexta-Feira Santa em Londres

A polícia alega que havia muitas pessoas no local e não havia distanciamento social. Por sua vez, a paróquia afirma que todos os requisitos estavam sendo cumpridos. Os fiéis são encorajados a denunciar.

Redação (05/04/2021 15:28, Gaudium Press) Parece que a interrupção da liturgia da Sexta-Feira Santa na Igreja Cristo Rei em Balham, sul de Londres, foi abuso de poder por parte dos policiais. Essa é a paróquia dos poloneses na capital inglesa.

Declara o site da paróquia: “Na Sexta-feira Santa, 2 de abril, durante a Liturgia da Paixão do Senhor, no momento da Adoração da Cruz, por volta das 18h, a polícia chegou à porta da nossa igreja. Não nos foi permitido terminar a celebração”.

“Os oficiais de polícia, declarando que nossa assembleia litúrgica era ilegal, ordenaram que todos abandonassem nossa igreja imediatamente, sob ameaça de multa para cada um dos paroquianos presentes em 200 libras ou até mesmo prisão. Os fiéis obedeceram a esta ordem sem objeção”.

“Acreditamos, no entanto, que a polícia se excedeu e houve abuso de poder ao emitir uma ordem sem uma razão adequada, já que todos os requisitos do governo estavam sendo cumpridos”.

“Lamentamos que os direitos dos fiéis tenham sido prejudicados em um dia tão importante para todos os crentes e que nossa adoração tenha sido profanada”.

O que diz a polícia

A polícia, em um comunicado, diz que recebeu uma chamada por volta das 17h na sexta-feira, 2 de abril, alertando sobre um grande número de pessoas em fila fora da igreja. E que, quando entraram, encontraram “uma grande quantidade de pessoas no recinto. Algumas delas não usavam máscaras e os presentes claramente não estavam cumprimento o distanciamento”.

Então temos versões desencontradas: a da paróquia dizendo que cumpriam as normas e a da polícia dizendo não.

A convite do celebrante, um policial foi ao presbitério e disse algo que parecia mostrar que desconhecia as disposições que permitiam a celebração do rito: afirmou que a reunião era “ilegal” sob as atuais restrições do coronavírus. Ou seja, não estava aludindo ao descumprimento das medidas de biossegurança, mas questionava a própria realização do rito.

A paróquia pediu à polícia uma explicação sobre o incidente, e encorajou os fiéis a realizar uma queixa formal pelo incidente.

“Acreditamos que nós e nossos fiéis fomos tratados de forma muito injusta, sendo um dia tão importante para os crentes”, sublinhou o Pe. Aleksander Dasik da paróquia.

No dia seguinte, Mons. John Wilson, arcebispo de Southwark e a quem a paróquia é subordinada, fez uma visita pastoral, assegurando aos fiéis sua proximidade e oferecendo seu apoio neste incidente.

Com informações CNA

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas