Gaudium news > Paróquia promove iniciativa para dar final digno a objetos religiosos em desuso

Paróquia promove iniciativa para dar final digno a objetos religiosos em desuso

“O ‘Punto Sacred’ pretende ser, antes de tudo, uma defesa do sagrado e a oportunidade de dar um fim digno aos objetos que nos ajudaram em nossa aproximação com Deus”, destacou o Padre López.

Espanha – Málaga (22/07/2020 16:00, Gaudium Press) Com o objetivo de dar um final digno a objetos religiosos deteriorados ou em desuso, o Pároco da Sagrada Família em Málaga, Espanha, Padre Rafael López Cordero, instalou em sua paróquia uma caixa semelhante as que coletam materiais recicláveis.

A iniciativa, intitulada ‘Punto Sacred’ (Ponto Sagrado), está tendo uma boa recepção por parte dos paroquianos que se deslocam de diversos lugares da Diocese para depositar objetos no ‘Punto Sacred’ instalado na porta da paróquia.

Evangelhos do dia, estampas e imagens quebradas

De acordo com o pároco, a necessidade de uma alternativa como essa foi destacada durante a quarentena, quando muitas pessoas ao organizarem suas casas encontraram objetos religiosos inutilizáveis e não sabiam o que fazer com os mesmos. O bom senso as ajudou a não jogar fora no lixo comum.

“Os objetos mais comuns são pequenos livros com os Evangelhos do dia de anos anteriores, assim como estampas e imagens de Santos deterioradas”, comentou o Padre López à Diocese de Málaga.

Uma defesa do sagrado

O sacerdote explica que os objetos deixados na caixa são processados de forma digna, sendo reutilizados, os que ainda pode ser reutilizados, e destinados para reciclagem o que não pode ser recuperado.

“O ‘Punto Sacred’ pretende ser, antes de tudo, uma defesa do sagrado e a oportunidade de dar um fim digno aos objetos que nos ajudaram em nossa aproximação com Deus”, destacou o Padre López. “Mas também visa ajudar na conservação desta casa comum e fazê-lo a partir das chaves cristãs”.

Iniciativa pode ser copiada por outras paróquias

O Pároco da Sagrada Família considera que esta iniciativa pode ser estendida a outras paróquias, para que o sagrado seja respeitado. “A ideia não tem copyright; é uma boa ideia mas não nos consideramos donos”, concluiu. (EPC)

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas