Gaudium news > O milagre ocorreu: o sangue de San Gennaro se liquefez

O milagre ocorreu: o sangue de San Gennaro se liquefez

Acontece hoje, 19 de setembro,  festa do Padroeiro de Nápoles: San Gennaro ou São Januário, uma das três datas em que se reza pelo milagre da liquefação do sangue do santo.

Redação (19/09/2022 17:55, Gaudium Press) O Arcebispo Domenico Battaglia de Nápoles ergueu hoje a ampola contendo a relíquia do sangue do santo mártir do século III, na Catedral de Nápoles, revelando a liquefação deste.

“Hoje o sinal do sangue de São Januário derramado por causa de Cristo e de seus irmãos nos diz que a bondade, a beleza e a retidão são e sempre serão vitoriosas”, ressaltou o arcebispo.

“Aqui está o significado deste sangue que, unido ao sangue derramado por Cristo e de todos os mártires de todos os lugares e épocas, é um testemunho vivo de que o amor sempre vence”.

Mais de 2.000 pessoas se reuniram na Catedral de Nápoles da Assunção de Maria para a festa de São Januário, o santo padroeiro da cidade, conhecido como San Gennaro em italiano. O bispo foi martirizado durante a perseguição cristã do imperador Diocleciano.

Em sua homilia, o arcebispo de Nápoles advertiu contra reduzir a veneração do santo da cidade a mera superstição.

“Importa pouco, meus irmãos e irmãs, se o sangue se liquefaz ou não; nunca reduzamos esta celebração a um oráculo a ser consultado”, disse Battaglia.

“Acredite, o que realmente importa para o Senhor, o que nosso bispo e mártir Januário nos pede fortemente, é o compromisso diário de apostar no amor, de dissolver o egoísmo, de romper as barragens que retêm o bem, deixando a linfa do amor, como o sangue, correr no corpo desta cidade, dando a todos esperança, confiança, possibilidade de redenção e vida eterna”, acrescentou.

Liquefação ocorre três vezes por ano

Espera-se o milagre três vezes por ano: em setembro, no dia da festa do santo; no sábado anterior ao primeiro domingo de maio para comemorar a transladação dos restos mortais do santo; e – finalmente – em 16 de dezembro, em memória da erupção do Vesúvio de 1631. Quando o sangue não se liquefaz, os napolitanos interpretam isso como um mau presságio .

Com informações CNA.

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas