Gaudium news > “Jesus subiu aos céus para ficar próximo de nós”, assegura o Papa Francisco

“Jesus subiu aos céus para ficar próximo de nós”, assegura o Papa Francisco

O Pontífice meditou, no Regina Coeli deste último domingo, sobre a Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo aos céus.

Foto: Divulgação/Vatican Media.

Cidade do Vaticano (30/05/2022 16:57, Gaudium Press) No último domingo, 29 de maio, antes da recitação do Regina Coeli diante de um grande público reunido na Praça de São Pedro, o Papa Francisco meditou sobre o trecho do Evangelho de São Lucas no qual é narrada a Ascensão do Senhor aos céus e sua última aparição aos seus discípulos. Neste texto, Jesus diz aos discípulos que é conveniente que ele saia para que o Espírito Santo venha.

Francisco afirmou que o Senhor “sobe ao céu, mas não nos deixa sozinhos”. Pelo contrário, “precisamente ascendendo ao Pai, ele garante a efusão de seu Espírito”. E recordou que em outra ocasião Jesus havia falado da conveniência de partir, “porque se eu não for, o Paráclito não virá até vocês”.

Jesus é o grande sacerdote da nossa vida

“Ao subir ao céu, Jesus, em vez de permanecer perto de alguns poucos com o seu corpo, torna-se próximo de todos com o seu Espírito”, diz o Pontífice. E o Espírito Santo “torna Jesus presente em nós, além das barreiras do tempo e do espaço, para que sejamos suas testemunhas no mundo”.

Jesus também nesse Evangelho abençoa os apóstolos, com “um gesto sacerdotal”, pois “Deus, desde os tempos de Arão, havia confiado aos sacerdotes a tarefa de abençoar o povo”. Deste modo, “o Evangelho quer dizer-nos que Jesus é o grande sacerdote da nossa vida”, que “subiu ao Pai para interceder por nós, para lhe apresentar a nossa humanidade”, disse o Papa.

Cristo nos abre o caminho

“Assim, diante dos olhos do Pai, estão e sempre estarão, com a humanidade de Jesus, nossas vidas, nossas esperanças, nossas feridas. Assim, ao fazer o seu ‘êxodo’ para o céu, Cristo ‘nos abre o caminho’, vai preparar-nos um lugar e, desde já, intercede por nós, para que estejamos sempre acompanhados e abençoados pelo Pai”.

Francisco concluiu convidando-nos a rezar “à Virgem, a bendita entre as mulheres, que, cheia do Espírito Santo, sempre reza e intercede por nós”. (EPC)

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas