Gaudium news > Faleceu Dom Antônio Affonso de Miranda, o Bispo mais idoso do Brasil

Faleceu Dom Antônio Affonso de Miranda, o Bispo mais idoso do Brasil

O Bispo emérito de Taubaté (SP), estava internado em um hospital na cidade de Juiz de Fora (MG).

Minas Gerais – Juiz de Fora (11/10/2021 10:00, Gaudium Press) Faleceu na manhã desta segunda-feira, 11 de outubro, o Bispo emérito de Taubaté (SP), Dom Antônio Affonso de Miranda. Aos 101 anos de idade, o prelado era o Bispo mais idoso do Brasil.

O Bispo estava internado em um hospital na cidade de Juiz de Fora (MG). O sepultamento do religioso foi marcado para a próxima terça-feira, em Mercês (MG), cidade natal de Dom Antônio. O horário da celebração ainda será confirmado.

Em nota, a Diocese de Taubaté ressaltou que “a passagem de Dom Antônio pela Diocese de Taubaté foi marcada pelo equilíbrio entre a responsabilidade e a generosidade, a ternura e a firmeza. Rezemos por Dom Antônio, agradecendo a Deus por sua vida e dedicação à Igreja, especialmente à nossa Diocese”.

Biografia de Dom Antônio Affonso de Miranda

Nascido no dia 14 de abril de 1920 na cidade mineira de Cipotânea, ainda em sua infância se mudou com a família para Mercês, outra cidade localizada em Minas Gerais. Ingressou no seminário da congregação dos Sacramentinos de Nossa Senhora, no dia 1º de fevereiro de 1933.

Foi ordenado sacerdote no dia 1º de novembro de 1945, dirigindo os seminários do Bom Jesus, em Manhumirim e São Rafael, em Dores do Indaiá, onde também foi pároco por 16 anos em três diferentes períodos.

Aos 32 anos foi eleito como o primeiro Superior Geral da congregação dos Sacramentinos de Nossa Senhora. Tendo que aguardar uma licença especial de Roma para que assumisse, diante de tão tenra idade.

Foi nomeado Bispo de Lorena (SP) no dia 8 de novembro de 1971. Em 1977 foi transferido para a diocese de Campanha como Bispo coadjutor. Alguns anos depois foi transferido para a Diocese de Taubaté, onde ganhou fama de reconhecido pregador, grande administrador e incentivador das pastorais e movimentos leigos.

O Papa João Paulo II aceitou a sua renúncia canônica em 22 de maio de 1996, nomeando-o administrador apostólico até a posse do seu sucessor, dom Carmo João Rhoden, em 17 de agosto daquele mesmo ano. (EPC)

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas