Gaudium news > Eucaristia é profanada na França

Eucaristia é profanada na França

Durante a distribuição da Sagrada Comunhão na Missa dominical de 16 de janeiro, um homem esmigalhou e jogou por terra a hóstia que tinha recebido

Redação (18/01/2022 12:15, Gaudium Press) A onda de profanações contra a Igreja Católica continua na França e de maneira cada vez mais violenta.

Na Missa do último domingo, 16 de janeiro, o Padre Simon Violet, vigário da paróquia parisiense do Espírito Santo, presenciou uma cena gravíssima.

Durante a distribuição da comunhão, um homem se aproximou para receber a comunhão, mas ao invés de levar a hóstia até a boca, ele a esmigalhou em sua mão e depois lançou as partículas pelo chão.

A profanação aconteceu na Missa de 11 horas, a mais frequentada da paróquia, ademais havia uma preparação batismal para as crianças. Conforme explicou o Pe. Violet para Aleteia: a igreja estava cheia.

O sacerdote segurou o profanador pela roupa e este apenas respondeu: “Por Nadia!”, em seguida sumiu no meio da multidão.

Foto publicada no Tweet do Pe. Simon de Violet

Procissão, oraçõe e Missa de reparação

O Padre Simon Violet concluiu que o ato foi totalmente premeditado. Apesar de perceber alguns ferimentos nas mãos do profanador, o sacerdote disse que o homem estava inteiramente sóbrio.

O celebrante fez vir um cibório onde recolher as partículas espalhadas por terra. No fim da Missa, Padre Violet decidiu explicar o ocorrido para os fiéis que não viram a cena e, sobretudo, para as crianças compreendessem a gravidade da cena que assistiram.

O sacerdote decidiu fazer do cortejo final uma procissão com a hóstia profanada: “Nós atravessamos o povo de Deus, com o corpo ‘quebrado’ do Senhor. Há algo de profético e dramático nisso”, explicou o sacerdote.

Após a celebração, o pároco dissolveu a hóstia enquanto recitava uma oração de reparação e anunciou a celebração de uma Missa de desagravo, na quarta-feira, 19 de janeiro.

Devido à gravidade da profanação, os sacerdotes decidiram falar abertamente para apontar o problema e, de outro lado, afervorar os fiéis na devoção eucarística. (FM)

Com informações de Aleteia.

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas