Gaudium news > Estrelas, fogo e Fé

Estrelas, fogo e Fé

Meditemos nos sinais que envolvem a cerimônia da Vigília Pascal: a escuridão do ambiente; a chama, na qual são acesas todas as velas… Cada sinal possui um significado acerca dos tempos de Cristo e também acerca de nossos tempos.

Redação (16/04/2022 08:13, Gaudium Press) Nesta noite santa, a escuridão que acolhe os fiéis é rompida somente pelas estrelas.

As mesmas estrelas que serviram de promessa a Abraão e de caminho para os Magos também hoje misturam sua luz com a do Círio Pascal, símbolo d’Aquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida, a realização de todas as promessas.

Já a luz das estrelas, Deus criou o homem à sua imagem e semelhança (Cf. Gn 1,26).

É sob estrelas que Deus promete a Abraão uma descendência numerosa, e pela Fé “Abraão, submetido à prova, ofereceu Isaac, seu único filho, depois de ter recebido a promessa e ouvido as palavras: ‘Uma posteridade com o teu nome te será dada em Isaac’. Estava ciente de que Deus é poderoso até para ressuscitar alguém dentre os mortos” (Hb 11,17-19).

Ainda pela Fé e sob as estrelas, Moisés “deixou o Egito, não temendo a cólera do rei, com tanta segurança como estivesse vendo o invisível. Foi pela fé que mandou celebrar a Páscoa e aspergir os portais com sangue, para que o anjo exterminador dos primogênitos poupasse os filhos de Israel. Foi pela fé que os fez atravessar o mar Vermelho, como por terreno seco, ao passo que os egípcios que se atreveram a persegui-los foram afogados” (Hb 11,27-29).

Enfim, quantas promessas e quantos atos de fé não viram as estrelas!?

Porém, entre tudo o que nos contariam, uma fé brilhou sobremaneira: nesta noite santa, em que o Corpo de Nosso Senhor repousava no sepulcro, houve uma única chama que sustentou toda a Igreja: era a Fé, a Esperança e a Caridade de Maria.

Somente Aquela que conferia e meditava nas palavras e acontecimentos relacionados com o Divino Mestre em seu Coração conservou sua Fé intacta nesta hora de trevas e nuvens.

Ora, em nossos dias, as estrelas parecem nos dizer que a Fé do mundo também jaz num sepulcro, o reino das trevas parece dominar o orbe. Contudo, nesta imensa escuridão, novamente uma chama conserva a integridade do depósito da fé. Nesta chama, ainda que pequena e insignificante aos olhos do mundo, já arde um “fogo novo”: é outra vez o Imaculado Coração de Maria que, desta vez, começa a triunfar.

Quantas profecias prenunciam seu cumprimento nos dias atuais! Não nos deixemos arrastar pelas ilusões do mundo.

Abandonemos as obras das trevas e aproximemo-nos deste “fogo novo”, aqueçamos nele nossas almas e tracemos nosso porvir à sua luz. Destas labaredas jorrarão abundantes graças que nos farão atravessar o Mar Vermelho desta vida e assegurar a vida futura.

Por Fernando Mesquita

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas