Gaudium news > Eleições nos EUA: como a religião influencia a escolha dos canditados

Eleições nos EUA: como a religião influencia a escolha dos canditados

Estes são os resultados da recente pesquisa realizada pelo Pew Research Center sobre as intenções de voto para as eleições de 3 de novembro nos Estados Unidos.

Redação (16/10/2020 10:30, Gaudium Press) “Quem vota em quem nas eleições presidenciais dos EUA”, assim se poderia resumir o resultado de uma recente pesquisa feita pelo Pew Research Center sobre as intenções de voto, levada a cabo entre 30 de setembro e 5 de outubro passados.

 O tema das eleições americanas estará nas manchetes da imprensa mundial até 3 de novembro, e, em alguns casos, monopoliza-lo-á. De fato, o mundo inteiro tem seus olhos voltados para o que está acontecendo lá; inclusive, os dos líderes religiosos como o Cardeal Gerhard Muller, que recentemente declarou que o que estava em jogo nesta “fatídica” eleição era o futuro dos direitos humanos em todo o mundo.

Votação por segmento religioso

A pesquisa, realizada com 10.543 eleitores em todo o país, mostra um resultado global de 42% a favor de Trump e 52% a favor de Biden. Evidentemente, as pesquisas podem não refletir a real intenção dos eleitores como de fato ocorreu nas eleições de 2016, pois alguns podem ocultar sua simpatia, por exemplo, por Trump.

De qualquer forma, as informações revelam as tendências de acordo com cada segmento religioso:

– Os protestantes evangélicos brancos votariam 78% em Trump, 17% em Biden e 5% em outros.

– Os protestantes não evangélicos brancos votariam 53% em Trump e 43% em Biden.

– Os católicos brancos votariam 52% em Trump e 44% em Biden.

– Os que não têm nenhuma religão em particular votariam 31% em Trump e 62% em Biden.

– Os judeus votariam 27% em Trump e 70% em Biden

– Os católicos de origem hispana votariam 26% em Trump e 67% em Biden.

– Os que se declaram ateus ou agnósticos votariam 11% em Trump e 83% em Biden.

– Os protestantes negros votariam 9% em Trump e 90% em Biden.

Ou seja, somando:

– Do total dos protestantes, 54% votaria em Trump e 41% em Biden.

– Do total dos católicos, 44% votaria em Trump e 51% em Biden.

– Do total daqueles que não manifestam estar afiliados a alguma denominação religiosa, 22% votaria em Trump e 71% em Biden.

A pesquisa revela que, em comparação com a pesquisa do verão passado, o apoio dos brancos a Trump diminuiu. Mas mostra que esse declínio seja, talvez, devido a novos elementos introduzidos na última medição, já que esse declínio em relação a Trump não se manifesta em um crescimento de Biden.

Em relação ao peso dos diversos segmentos no conjunto do eleitorado, afirma-se que os cristãos brancos representam 44% dos eleitores registrados; os protestantes negros 7%; os católicos hispanos 5%, os judeus 2% e os sem afiliação religiosa 28%.

A atual intenção de voto também confirma as tendências e movimentos dos segmentos religiosos dos últimos anos.

Os protestantes evangélicos brancos, os partidários mais firmes de Trump, são os republicanos mais consistentes entre os principais grupos religiosos do eleitorado. Com efeito, eles têm se tornado ainda mais republicanos com o passar dos anos.

Os católicos brancos e protestantes brancos que não são evangélicos também mudaram para uma direção republicana nas últimas décadas. Por outro lado, os protestantes negros, os eleitores sem afiliação religiosa, os judeus e os católicos hispanos têm sido, durante muito tempo, solidamente democratas.

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas