Gaudium news > Departamento de Justiça dos EUA pede para Califórnia incluir templos na reabertura de serviços

Departamento de Justiça dos EUA pede para Califórnia incluir templos na reabertura de serviços

Excluir o culto público significaria uma violação dos direitos dos cidadãos à praticar livremente sua religião.

Estados Unidos – Los Angeles (22/05/2020 10:00, Gaudium Press) Em uma carta enviada ao Governador da Califórnia, Gavin Newson, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos exigiu a inclusão dos serviços religiosos nas medidas estatais de reabertura. Excluir o culto público significaria uma violação dos direitos dos cidadãos à praticar livremente sua religião.

A reabertura de serviços não pode ser discriminatória

“Não há uma exceção pela pandemia à Constituição dos Estados Unidos e sua Carta de Direitos”, advertiu o Procurador Geral Assistente, Eric Dreiband, na carta divulgada por Crux. O funcionário criticou o fato de que os serviços religiosos permaneçam fechados, enquanto se permite a reabertura de outros estabelecimentos, “sem se importar se o produto que vendem e enviam é de preservação da vida ou não”.

Para o Departamento de Justiça, isto constitui um “trato diferencial” e uma imposição injusta. “A Constituição pede que Califórnia faça mais para acomodar o culto religioso, incluindo na etapa 2 do plano de reabertura”, expressou o documento. “As reuniões religiosas não podem ser separadas em um trato desigual comparado à outras reuniões não religiosas que têm o mesmo efeito para o interesse da saúde pública do governo”.

Médicos católicos apresentam estudo sobre a reabertura

O comunicado do Departamento de Justiça surge após uma comissão de médicos católicos ter publicado os resultados de um estudo sobre a reabertura. Ao seu parecer, os templos podem reabrir suas portas “com tanta segurança como outros serviços essenciais”. A Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos enviou esse documento às diferentes Dioceses. O texto faz parte dos recursos de preparação para um eventual retorno à normalidade. (EPC)

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas