Gaudium news > Cristo, novo Adão

Cristo, novo Adão

Na cruz, Cristo se converte num novo Adão: Nele o ser humano renasce, começa novamente.

Na cruz, Cristo se converte num novo Adão: Nele o ser humano renasce, começa novamente.

Redação (Terça-feira, 24-03-2020, Gaudium Press) Traduzimos e aqui publicamos comentários sobre Cristo como novo Adão feitos durante conferências quaresmais realizadas em 1981 pelo Papa Emérito Bento XVI, quando ainda era arcebispo de Munique, na Alemanha:

– Cristo se converte num novo Adão com o qual o ser humano começa novamente.

Ele que, desde o fundamento, é nosso ponto de referência, o filho, restabelece corretamente de novo as relações.

Seus braços estendidos são a referência aberta, que continua a estar aberta para nós. A cruz, o lugar da sua obediência, se converte na verdadeira árvore da vida. Cristo se converte na imagem oposta da serpente como diz João em seu evangelho (Jo 3, 14).

Desta árvore vem, não a palavra da tentação, mas a palavra do amor salvador, a palavra da obediência, na qual Deus se fez obediente para oferecer-nos sua obediência como espaço da liberdade. A cruz é a árvore da vida novamente acessível.

Com a Paixão, Cristo fez obedecer ao som, por assim dizer, inflamado da espada, atravessou o fogo e levantou a cruz como o verdadeiro eixo do universo sobre o qual este de novo ficou reto.

Por isso, a Eucaristia, como presença da cruz, é a verdadeira árvore da vida que está sempre em nosso centro e nos convida a receber o fruto da verdadeira vida. Isto significa que a Eucaristia nunca poderá ser uma simples purificação comunitária.

Recebê-la, comer da árvore da vida significa, por isso, receber o Senhor Crucificado, isto é, aceitar sua forma de vida, sua obediência, seu Sim, à medida de nosso ser criatura. Significa aceitar o amor de Deus que é nossa verdade, aquela dependência de Deus que não significa para nós uma determinação estranha, como tão pouco para o filho, é a filiação uma resolução estranha. Precisamente esta dependência é liberdade porque é Verdade e Amor.

Que este tempo da Quaresma nos ajude a sair das nossas negativas, do receio da aliança de Deus, da falta de medidas e da mentira da nossa “auto-determinação”, para ir em busca da árvore da vida que é nossa medida e nossa esperança.

E que nos encontremos de novo com as palavras completas de Jesus: o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no evangelho (Mc 1, 15).

Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve ser levantado o Filho do Homem, para que todo homem que n’Ele crer tenha a vida eterna (Jo 3, 14 –15)

(in RATZINGER, Joseph. Creación y pecado. (Navarra): Ediciones Universidad de Navarra, 2005. p. 103-104 ).

Deixe seu comentário

Noticias Relacionadas