Gaudium news > Conselho para a Economia do Vaticano se reúne para discutir política de investimentos

Conselho para a Economia do Vaticano se reúne para discutir política de investimentos

Membros do Conselho para a Economia do Vaticano se reuniram pessoalmente nos dias 14 e 15 de julho para discutir o balanço final da Santa Sé de 2020 e sua política de investimentos.

Redação (16/07/2021 09:05, Gaudium Press) Foi a primeira vez que esse órgão se reuniu pessoalmente desde que o Papa Francisco nomeou seis mulheres para a equipe que supervisiona as finanças do Vaticano e o trabalho da Secretaria para a Economia.

Eva Castillo Sanz, ex-presidente da Merrill Lynch da Espanha e Portugal, foi nomeada em agosto de 2020. Anteriormente, os membros do Conselho para a Economia, criado pelo Papa Francisco em 2014, era composto por oito cardeais, seis leigos e um sacerdote secretário.

Entre os presentes na reunião desta semana estavam o presidente do conselho, cardeal Reinhard Marx, seu secretário, o Mons. Brian Ferme, bem como o Cardeal Péter Erdő, o Cardeal Joseph Tobin, o Cardeal Anders Arborelius e o Arcebispo Giuseppe Petrocchi.

Entre os leigos estavam Charlotte Kreuter-Kirchhof, Eva Castillo Sanz, Marija Kolak, Alberto Minali e María Concepción Osákar Garaicoechea.

O Secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, o Fr. Guerrero e o auditor-geral Alessandro Cassinis Righini também estavam presentes.

Conectando-se remotamente de seus países de origem estavam o Cardeal Wilfrid Napier, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, o Arcebispo Gérald Lacroix, Leslie Jane Ferrar e Ruth Kelly.

“O tema da reunião foi a aprovação do balanço final de 2020 da Santa Sé, apresentado pelo Fr. Juan Antonio Guerrero Alves, Prefeito da SPE [Secretaria para Economia], e uma reflexão sobre a política de investimento da Santa Sé, moderada pela Dra Eva Castillo Sanz”, informou a Santa Sé na nota de 15 de julho.

O Conselho para a Economia se reuniu online em fevereiro para discutir o orçamento anual para 2021. A crise do coronavírus aumentou a pressão sobre o já apertado orçamento do Vaticano, com os Museus do Vaticano – uma fonte significativa de renda – forçados a fechar por mais de 24 semanas para evitar a propagação do vírus.

 O Conselho para a Economia realizará sua próxima assembleia em setembro.

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas