Gaudium news > Coluna Mariana em Praga é abençoada pelo Cardeal Duka

Coluna Mariana em Praga é abençoada pelo Cardeal Duka

O monumento, reconstruído após mais de cem anos, foi levantado em memória à vitória de 1648 sobre o exército sueco, a última batalha da Guerra dos Trinta Anos.

República Tcheca – Praga (25/08/2020 09:00, Gaudium Press) O Cardeal Arcebispo de Praga, Dom Dominik Duka, abençoou na última semana a Coluna Mariana na Praça da Cidade Velha de Praga, na República Tcheca. O monumento, reconstruído após mais de cem anos, foi levantado em memória à vitória de 1648 sobre o exército sueco, a última batalha da Guerra dos Trinta Anos.

Imagem de Nossa Senhora coroada por doze estrelas

No alto da coluna se ostenta uma imagem de Nossa Senhora coroada por doze estrelas e pisando no dragão infernal. Durante a cerimônia, foram colocadas aos pés do monumento três rosas feitas de arenito, mármore e granito, os três tipos de materiais utilizados ​​para sua realização.

História da Coluna Mariana

Os habitantes de Praga, então sitiados pelas tropas suecas, se reuniram na praça onde estava exposto um ícone de Nossa Senhora e começaram a rezar. Através de suas orações, contando com a intercessão da Mãe de Deus, os inimigos se afastaram e posteriormente se assinou a Paz de Westfália.

Em sinal de agradecimento a Nossa Senhora, em 1650, a pedido do imperador Ferdinando III, se construiu a Coluna Mariana. No alto dos seus 15 metros de altura foi colocada uma imagem da Virgem Maria feita pelo escultor Jan Jirì Bendl.

Coluna derrubada por nacionalistas

Muitos consideraram a coluna votiva como uma ostentação do poder dos Habsburgos e da Igreja Católica. Por este motivo, no dia 3 de novembro de 1918, no limiar do colapso da antiga monarquia dos Habsburgos e proclamada a independência da Tchecoslováquia, uma multidão de nacionalistas tchecos derrubou a coluna.

Reconstrução do monumento

Durante anos se pensou na reconstrução do monumento, mas o projeto não seguiu em frente por conta da Segunda Guerra Mundial e do advento do totalitarismo comunista ateu. Apenas em 1989, após ‘Revolução de Veludo’, se fundou uma ‘Sociedade de Reconstrução’ que encomendou ao escultor Petr Vána a confecção de uma nova imagem e uma nova coluna, idênticas às do século XVII. Os trabalhos duraram 25 anos. (EPC)

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas