Gaudium news > China enfrenta escassez de Bíblias Católicas

China enfrenta escassez de Bíblias Católicas

Os católicos de Hong Kong estão se preparando para a escassez de Bíblias em chinês em meio à relutância das editoras na China continental em imprimir as Sagradas Escrituras.

Foto: Cathopic/Marisa Czl.

China – Hong Kong (05/08/2022 16:51, Gaudium Press) O Studium Biblicum Franciscanum (SBF), órgão especializado em estudos bíblicos e arqueológicos, alertou que os católicos de Hong Kong estão se preparando para a escassez de Bíblias em chinês em meio à relutância das editoras na China continental em imprimir as Sagradas Escrituras.

Todo o estoque de Bíblias católicas foi vendido

Segundo o Frade Franciscano Raymond Mary Yeung, membro da SBF, “o Studium Biblicum Franciscanum não conseguiu encontrar uma gráfica adequada para as Bíblias católicas chinesas e, portanto, não conseguiu imprimir as novas Bíblias católicas chinesas”.

De acordo com o religioso, “atualmente, todo o estoque de Bíblias católicas chinesas da Sociedade foi vendido para livrarias e, se o problema da impressão não for resolvido em um futuro próximo, haverá uma escassez”.

Gráfica quer evitar problemas com as autoridades

Frei Yeung explicou que, no passado, estas Bíblias eram impressas por uma gráfica na China continental, entretanto, agora é necessário pedir autorização ao governo para imprimir. Além de não obter muito lucro com essas impressões, a gráfica quer evitar problemas com as autoridades, e por estes motivos resolveu deixar de imprimir Bíblias católicas.

Ainda segundo o religioso, existe uma grande dificuldade de se encontrar uma nova gráfica, pois imprimir Bíblias requer um certo nível de habilidades técnicas, como tecnologia de encadernação por grampos, que não está disponível em Hong Kong. Além disso, os exemplares de Bíblias católicas estão esgotados, pois foram enviados para livrarias e escolas nas paróquias.

Governo chinês proibiu as livrarias online de vender Bíblias

Em 2018, logo após o Partido Comunista Chinês adotar os Novos Regulamentos sobre Assuntos Religiosos, o governo chinês proibiu as livrarias online de vender Bíblias. Em 2021, após pedidos de autoridades chinesas, a gigante de tecnologia americana ‘Apple’ removeu uma Bíblia da App Store. No mesmo ano, um tribunal na província de Guangdong prendeu quatro cristãos por vender dispositivos eletrônicos que podem reproduzir versículos da Bíblia. (EPC)

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas