Gaudium news > Basílica de São Pedro poderá ter missas ‘individuais’ novamente

Basílica de São Pedro poderá ter missas ‘individuais’ novamente

Uma nota do novo arcebispo da basílica, cardeal Gambetti, ameniza as disposições anteriores que haviam causado polêmica.

Redação (24/06/2021 09:53, Gaudium Press) Após o cancelamento, em 12 de março passado, das missas ‘individuais’ nos altares da Basílica de São Pedro e apenas a possibilidade de concelebrar na Basílica do Vaticano, várias vozes se levantaram, expressando sua perplexidade e pedindo para que se recuasse com a medida.

O ex-prefeito da Congregação para o Culto Divino, Cardeal Sarah, por exemplo, apelou diretamente ao Papa para que a decisão da Secretaria de Estado fosse retirada: “Suplico humildemente ao Santo Padre que retire as recentes normas emitidas pela Secretaria de Estado, as quais carecem tanto de justiça quanto de amor, por não corresponderem à verdade ou à lei, e não facilitarem, mas sim colocarem em perigo o decoro da celebração, a participação devota na missa e a liberdade dos filhos de Deus.” Outros cardeais também se manifestaram no mesmo sentido.

Anteontem, na “Nota da Basílica de São Pedro sobre a ordenação das Celebrações Eucarísticas”, o novo arcebispo da Basílica, Cardeal Mauro Gambetti, introduziu alguns importantes matizes na disposição inicial:

“Admitem-se exceções em relação aos locais de celebração – por ocasião da memória de um santo cujos restos mortais se conservam na basílica – e a realização simultânea de certas celebrações para grupos de peregrinos ou na forma extraordinária do rito romano”.

No entanto, “quando possível, é mais oportuno que os presbíteros concelebrem”, ou seja, se um sacerdote chega com um grupo de fiéis, ele deve se juntar à concelebração, e com ele, seus fiéis.

Exceções

Lê-se também na Nota que “o Magistério ensina que as exceções em que se recomenda a concelebração são aqueles casos em que para o benefício dos fiéis não é exigido nem aconselhado o contrário”, ou seja, pode se excetuar a concelebração, levando em conta, por exemplo, “a compreensão do idioma na liturgia em ordem à caridade” ou “o valor pastoral que a celebração da Eucaristia possa ter para um grupo de peregrinos, de acordo com os ritos existentes na Igreja Católica”, referindo-se aos peregrinos que têm um afeto especial pela liturgia no rito antigo.

Enfim, “as dimensões da Basílica de São Pedro e sua arquitetura possibilitam responder às diferentes necessidades daqueles que desejam celebrar a Eucaristia em um grupo sem se sobrepor à concelebração que ocorre nos principais lugares litúrgicos”, uma vez que “a Basílica de São Pedro é caracterizada pelo ministério petrino da unidade, misericórdia e ortodoxia da fé e acolhe peregrinos de todo o mundo.”

Com informações  Zenit

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas