Gaudium news > “A grandeza e o sucesso aos olhos de Deus são medidos no serviço”, diz Papa no Angelus

“A grandeza e o sucesso aos olhos de Deus são medidos no serviço”, diz Papa no Angelus

O Pontífice destacou que “se quisermos seguir Jesus, devemos percorrer o caminho que ele mesmo traçou, o caminho do serviço”.

Redação (20/09/2021 17:09, Gaudium Press) O ‘serviço’ foi o tema central escolhido pelo Papa Francisco para seus comentários durante a oração mariana do Angelus deste domingo, 19 de setembro. Comentando um trecho do Evangelho do dia, no qual São Marcos narra a discussão entre os discípulos sobre quem era o maior, o Pontífice destacou que “se quisermos seguir Jesus, devemos percorrer o caminho que ele mesmo traçou, o caminho do serviço”.

“Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos”, disse Nosso Senhor Jesus Cristo na ocasião. Citando esta frase, o Santo Padre explicou que ela também serve para nós e por ter sido pronunciada pelo Mestre marcou uma inversão nos critérios daquilo que realmente importa.

Quer se sobressair? Sirva. Este é o caminho

“O valor de uma pessoa não depende mais do papel que ela desempenha, do sucesso que tem, do trabalho que faz, do dinheiro no banco”, assegurou. “A grandeza e o sucesso, aos olhos de Deus, têm um padrão, uma medida diferente: são medidos no serviço. Não no que se tem, mas no que se dá. Quer se sobressair? Sirva. Este é o caminho”.

Apesar da palavra ‘serviço’ parecer um pouco desbotada em nossos dias, no Evangelho tem um significado preciso e concreto. Servir é seguir o exemplo de Jesus que disse que não veio para ser servido, mas para servir. “Nossa fidelidade ao Senhor depende de nossa disponibilidade em servir”.

O serviço aos pobres e aos que não tem como retribuir

Francisco afirmou que sabe que geralmente custa servir, mas “quanto mais servimos, mais sentimos a presença de Deus, sobretudo quando servimos aqueles que não têm nada para nos restituir, os pobres, abraçando suas dificuldades e necessidades, com a terna compaixão: e ali descobrimos ser, por sua vez, amados e abraçados por Deus”.

O Papa concluiu sua reflexão afirmando que devemos servir antes de tudo “aqueles que têm necessidade de receber e não tem como retribuir. Acolhendo quem está à margem, abandonado, acolhemos Jesus, porque Ele está ali. E em um pequeno, em um pobre a quem servimos, também nós recebemos o terno abraço de Deus”. (EPC)

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas