Gaudium news > A chapa Biden-Harris, qualificada como a mais abortista da história das eleições presidenciais americanas

A chapa Biden-Harris, qualificada como a mais abortista da história das eleições presidenciais americanas

O candidato democrata anunciou sua escolha à vice-presidência, Kamala Harris, que tem fortes ligações com a multinacional abortista Planned Parenthood.

Redação (13/08/2020 19:09, Gaudium Press) A vida de Kamala Harris, 55 anos, candidata à vice-presidente, nomeada pelo partido democrata nos EUA, é mais que confusa e heterogênea. Vejamos.

Ela tem sangue índio (materno) e jamaicano (paterno), e hoje em dia seu tom de pele morena tem se destacado muito, será por causa do Black Lives Matter e dos votos que querem coletar dos afro-americanos? Entretanto, algumas pesquisas afirmam que mais de 40% dos votos negros vão para Trump.

Não foram seus pais que a levaram para a igreja cristã (eles se separaram quando ela tinha 7 anos), mas  sim uma vizinha. Talvez seja por isso que em seus discursos saem coisas como a parábola do bom samaritano ou a da fraternidade de todos os homens: “todos devemos ajudar uns aos outros”. Na realidade, ela se declara batista.

Esta índia jamaicana batista, que poderia chegar a ser potencialmente presidente dos EUA no próximo dia 3 de novembro, também se casou com um advogado judeu com quem não teve filhos, mas assumiu os dois filhos dele.

O que não é heterogêneo na vida de Harris é sua orientação e militância política

Mas o que não é heterogêneo na vida de Kamala Harris é sua orientação e militância política.

Parte de sua campanha para o senado na Califórnia foi financiada pela empresa multinacional abortista Planned Parenthood, que sofreu muito no governo de Trump. E por isso, combateu qualquer tentativa legal de reduzir o fluxo de dinheiro público para os cofres desta multinacional.

Também é consistente em sua militância política que, como procuradora-geral da Califórnia, quis que a empresa de instalações e reparos HobbyLobby, pertencente a uma família cristã menonita, fosse obrigada a pagar os serviços médicos de esterilização e anticoncepção para seus funcionários. A mesma coisa foi exigida das Irmãzinhas dos Pobres, até que a Suprema Corte as liberou para agirem de acordo com suas consciências.

Como senadora em nível federal, quis, sem muito sucesso, eliminar uma lei que protege a liberdade religiosa nos Estados Unidos, mostrando assim radicalismo.

Perseguidora como promotora de um jornalista católico

Mas sua posição radical ficou mais evidente quando atacou o jornalista católico David Daleiden, que silenciosamente filmou chefes da Planned Parenthood negociando partes dos corpos de bebês abortados.

Daleiden foi o primeiro jornalista a ser processado sob a lei de gravação da Califórnia. Na época, Daleiden declarou que o que foi feito pela promotora Harris foi “uma conspiração declarada e sem precedentes para usar seletivamente as leis de gravação de vídeo da Califórnia como uma arma política para silenciar seu discurso contra Planned Parenthood “.

Harris enviou policiais aos escritórios e à casa de Daleiden, confiscou materiais, vídeos, arquivos e deixou escapar que o jornalista era suspeito de “intenção criminosa”.

A antiga promotora Harris não esconde sua discriminação contra os católicos. Quando se avaliou a nomeação de Brian Buescher para o cargo de juiz distrital em 2018, Harris disse que sua idoneidade estava em questão, pois ele é um católico pró-vida, pertencente aos Cavaleiros de Colombo, cujo presidente descrevia o aborto como uma “matança de inocentes”… Bem, é o que todo católico deveria pensar sobre o aborto.

Em relação à emenda Hyde, que proíbe o financiamento de abortos com dinheiro federal, ela simplesmente quer que essa emenda seja revogada.

Na opinião de Marjorie Dannenfelser, presidente da associação Susan B. Anthony List, que valoriza a escala pró-vida dos vários candidatos políticos, “Kamala Harris é uma extremista que apoia o aborto sob demanda, pago pelos contribuintes e até mesmo o infanticídio”, não se preocupando com as crianças que nascem vivas após um aborto. “Sua agenda é rejeitada por uma esmagadora maioria de americanos, incluindo milhões de independentes e membros do Partido Democrata”, acrescenta. Ou seja, há democratas que se assustam com sua figura.

Tudo isso é mais um motivo para contestar a condição de integridade católica de Joe Biden, já que, como vários já disseram, a chapa Biden-Harris é a mais abortista em toda a história das aspirações presidenciais nos Estados Unidos.

Com informações de ReligionenLibertad

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas