Gaudium news > Papa Francisco: sete anos de Pontificado

Papa Francisco: sete anos de Pontificado

Redação (Sexta-feira, 13-03-2020, Gaudium Press) Hoje, 13 de março de 2020, completam-se 7 anos que o Cardeal Jorge Mario Bergoglio, Arcebispo de Buenos Aires, na Argentina, era eleito Pontífice Romano.

Papa Francisco-sete anos de pontificado-Foto Arquivo Gaudium Press.jpg
Há sete anos Cardeal Bergoglio tornava-se Papa Francisco.
Foto: Arquivo Gaudium Press

Pela primeira vez aconteciam fatos inéditos na escolha do Sucessor de Pedro: um jesuíta de origem latino-americana tornava-se Papa. E, ainda pela primeira vez, um Papa escolhia o nome de Francisco

Papa Francisco

Já nas reuniões preparatórias para o conclave, a maioria dos cardeais tinha concordado que aquele que fosse escolhido como Pontífice deveria levar avante uma reforma na Cúria Romana.

E, nos seus sete anos de Pontificado, o Papa Francisco tem realizado muitas mudanças.

Após um mês de sua eleição, Francisco criou um Conselho para a reforma institucional da Cúria, do qual participam cardeais de sua confiança, um grupo conhecido como C9.

Dentro das mudanças, uma das tarefas nas quais o Pontífice mais se comprometeu foi a reforma econômica dos distintos órgãos da Cúria de com o intuito garantir a transparência financeira do Vaticano. Por isso foi criado o Conselho e a Secretaria de Economia.

Sete anos de viagens

Nos seus sete anos de Pontificado Francisco visitou a Ásia, a América, a África e a Europa.

Das viagens apostólicas, talvez aquela que tenha causado mais impacto tenha sido aquela que o Papa fez às Filipinas e ao Sri Lanka, no mês de janeiro de 2015.

Nessa viagem o Pontífice celebrou uma Missa em Manila ocasião em que dela participaram mais de seis milhões de pessoas. Sem dúvidas, um evento que ficará na história como a Celebração Eucarística que reuniu o maior número de fiéis.

Jubileu da Misericórdia

Foi em abril de 2015, que Francisco convocou oficialmente o Jubileu Extraordinário da Misericórdia para que a Igreja colocasse mais em evidência sua missão de testemunhar a misericórdia e para incentivar que “sejamos misericordiosos como o Pai”.

O Ano Santo começou com a abertura da Porta Santa na Basílica Vaticano durante a Solenidade da Imaculada Conceição, em 8 de dezembro.

Sínodo dos Bispos

No mês de outubro, ainda em 2015, o Papa Francisco participou do Sínodo dos Bispos sobre a Família.

O Sínodo foi, na verdade, uma reunião mundial de representantes da Igreja em todo o mundo para debater e tratar sobre os diversos desafios que nos tempos atuais se apresentam para a instituição da família.

Foi ao final deste Sínodo que foi reafirmada a doutrina católica sobre o matrimônio no que diz respeito à indissolubilidade. Na ocasião ressaltou-se a beleza da família e do plano de Deus para ela.

Cuba, líder ortodoxo, México

Em 2016, Papa Francisco foi a Cuba e, em Havana, teve um encontro privado com o Patriarca ortodoxo Kirill, de Moscou e de toda a Rússia assinando uma declaração conjunta com ele.

Foi a primeira vez na história que aconteceu um encontro entre Pontífice e o líder dos ortodoxos russos.

Na visita que fez logo em seguida de sua ida a Cuba, Francisco foi ao México e lá esteve de 12 a 17 de fevereiro.

A Conferência do Episcopado Mexicano (CEM), afirmou que mais de 10,5 milhões de pessoas participaram das atividades da visita do Pontífice ao país de Nossa Senhora de Guadalupe.

Na Polônia: JMJ, Auschwitz, Czestochowa

Em julho de 2016, o Papa Francisco esteve na XXXI Jornada Mundial da Juventude, que aconteceu entre 27 e 31 de julho, em Cracóvia, na Polônia.

Esta não foi sua primeira participação em uma JMJ. Em 2013, quando realizou sua primeira viagem apostólica, ele esteve na JMJ realizada no Rio de Janeiro. Nesta ocasião, mais de 3 milhões de jovens participaram das atividades do Pontífice.

Ainda na visita realizada na Polônia, Francisco visitou o campo de concentração de Auschwitz e o Santuário Mariano de Czestochowa.

Canonizações

Em uma Missa celebrada para cerca de 120 mil pessoas, em 4 de setembro, na Praça de São Pedro no Vaticano, o Papa canonizou Madre Teresa de Calcutá.

Também em 2016, em 16 de outubro, o Papa Francisco canonizou sete novos santos no Vaticano, entre os novos canonizados estava o menino mexicano José Sánchez del Río, mártir da guerra cristera, e o sacerdote argentino José Gabriel del Rosario Brochero.
2017 e Fátima

Por ocasião do Centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima Francisco visitou Portugal e, na Cova da Iria, canonizou dois dos pastorinhos, Santa Jacinta e São Francisco Marto.

América Latina e 2018

O Papa voltou à América Latina em 2018 quando realizou uma visita apostólica ao Chile e Peru, de 15 a 21 de janeiro.
Francisco ainda realizou outras viagens internacionais: ele esteve em Genebra, na Suíça, em 21 de junho.

A viagem feita à Irlanda foi por ocasião do Encontro Mundial das Famílias, realizado em 25 e 26 de agosto.

A viagem à Lituânia, à Letônia e à Estônia, foi feita 22 a 25 de setembro.

Ainda no ano de 2018 aconteceu de o Papa presidir, de 3 a 28 de outubro, o Sínodo dos Bispos que girou em torno da temática: “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”.

Foi por ocasião deste sínodo que Francisco canonizou, em 14 de outubro, mais sete novos santos.

2019

Em 2019, o Pontífice esteve em uma outra JMJ. Desta vez a Jornada Mundial da Juventude foi realizada no Panamá, de 13 a 28 de janeiro, e teve como tema: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra”.

Neste ano o Papa Francisco realizou uma viagem aos Emirados Árabes Unidos, quando tornou-se o primeiro Pontífice a visitar este país.

Nesta visita, assinou com o Grão-Imã de Al-Azhar uma “Declaração Comum sobre a Fraternidade Humana”.

O Papa participou neste ano, no Vaticano, do encontro com todos os presidentes das Conferências Episcopais do mundo quando se tratou da prevenção de escândalos morais entre o clero.

Em 2019 Francisco incentivou e participou da Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a região Pan-amazônica. (JSG)

 

Deixe seu comentário

Noticias Relacionadas