Gaudium news > Nigéria: sacerdote católico assassinado na véspera do Natal

Nigéria: sacerdote católico assassinado na véspera do Natal

O funeral do sacerdote católico assassinado na véspera do Natal, na diocese de Abeokuta, na Nigéria, será nesta sexta-feira, 31 de dezembro, anunciou a direção da Sé Episcopal Nigeriana.

Redação (30/12/2021 11:44, Gaudium Press) Pe. Luke Mewhenu Adeleke, estava voltando para sua residência na Paróquia de Santo Antônio Ijemo-Fadipe da Diocese de Abeokuta, após celebrar a Santa Missa em Ogunmakin, quando foi atingido por uma bala e morreu devido aos ferimentos.

“Os agressores atiraram em seu veículo e as balas atingiram suas pernas, fazendo-o perder muito sangue e morrer em seu carro”, informou a Rede Católica da Nigéria (NCN), acrescentando que o corpo do falecido pároco foi “posteriormente depositado no necrotério do Hospital do Sagrado Coração, Lantoro, Abeokuta. ”

A circular da Diocese informa que a “missa de despedida” será celebrada na quinta-feira, 30 de dezembro, na paróquia em que o saudoso sacerdote estava servindo.

“Gentilmente ofereça missas e orações pelo repouso de sua alma. Que Deus lhe conceda descanso eterno. Amém”, Pe. Gregory Fadele pede em uma mensagem.

O assassinato do Pe. Adeleke confirma as preocupações que os líderes cristãos da nação mais populosa da África expressam sobre a insegurança no país que parece ter como alvo os seguidores de Jesus Cristo.

No mês passado, o presidente da CAN (Associação Cristã da Nigéria) disse que o ataque a uma igreja no estado de Kaduna, na Nigéria, ocorrido em 1º de novembro, foi “outra história triste de como nossa insegurança se deteriorou”.

“Cidadãos estão sendo mortos como galinhas e, como consolo, apenas comunicados de imprensa”, afirmou o pastor Joseph Hayab em um informativo de 2 de novembro.

No mesmo mês, dois bispos católicos nigerianos disseram estar  “surpresos” com o  fato de o Departamento de Estado dos Estados Unidos ter excluído a Nigéria da lista de países com graves violações da liberdade religiosa.

Com informações aciafrica

Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas