Loading
 
 
 
Loading
 
Os religiosos devem cuidar mais do carisma que das obras, afirma Cardeal Braz de Aviz
Loading
 
4 de Fevereiro de 2013 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 04-02-2013, Gaudium Press) Um momento de transformação, renovação e retorno às origens. Assim descreve a situação atual da vida religiosa o Cardeal João Braz de Aviz, Prefeito da Congregação para a Vida Consagrada, em palavras ditas a propósito do dia Mundial da Vida Consagrada.

cardeal_braz_de_aviz.JPG

Ele afirmou que enquanto na Asia, África e América Latina existe a necessidade de confirmar se todas as vocações que surgem são de boa fé; na Europa, Estados Unidos, Canadá e Austrália é necessário um empenho para voltar aos ensinamentos dos fundadores e reforçar a vida comunitária ainda que isso suponha diminuir o número.

Para o Cardeal, "O mais importante não são as obras. Mesmo que elas se desenvolvam muito, as obras são fruto de um carisma. Temos que estudar se trabalhando em tantas obras o carisma permanece. Porque, se o carisma não se mantém, as obras morrerão. É melhor diminuir as obras e que o carisma seja mantido. Ou seja, voltar à mensagem fundamental dos fundadores enfocada no Evangelho".

O cardeal explica a importância de voltar às raízes e mostra que na história houve casos de congregações que tinham um só membro vivendo autenticamente sua missão e depois voltaram a ter 3.000 membros.

"Se não se tem como centro a graça pela qual nasceu a congregação, o carisma morrerá, se não se cuidar disso", disse Dom João de Aviz.

Outro desafio apontado pelo cardeal foram as relações entre as Ordens Religiosas. É necessário que exista uma maior comunhão entre elas, disse.

O Prefeito da Congregação para a Vida Consagrada mostrou que "Na Igreja temos que aprender a ajudar nos. Se um carisma sofre, necessita de outro que está em uma boa situação que possa ajudar. Porém, em todos os sentidos: economicamente, na formação, nas vocações. Quantas coisas pode-se fazer juntos para ajudar-nos Às vezes estamos demasiados ilhados e isto nos traz dano!".

Dom João Braz de Aviz disse ser mais importante a autenticidade da missão que o número de membros ou instituições. O Cardeal vê sinais de esperança ainda que haja muito trabalho para ser feito. (JS)

Loading
Os religiosos devem cuidar mais do carisma que das obras, afirma Cardeal Braz de Aviz

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 04-02-2013, Gaudium Press) Um momento de transformação, renovação e retorno às origens. Assim descreve a situação atual da vida religiosa o Cardeal João Braz de Aviz, Prefeito da Congregação para a Vida Consagrada, em palavras ditas a propósito do dia Mundial da Vida Consagrada.

cardeal_braz_de_aviz.JPG

Ele afirmou que enquanto na Asia, África e América Latina existe a necessidade de confirmar se todas as vocações que surgem são de boa fé; na Europa, Estados Unidos, Canadá e Austrália é necessário um empenho para voltar aos ensinamentos dos fundadores e reforçar a vida comunitária ainda que isso suponha diminuir o número.

Para o Cardeal, "O mais importante não são as obras. Mesmo que elas se desenvolvam muito, as obras são fruto de um carisma. Temos que estudar se trabalhando em tantas obras o carisma permanece. Porque, se o carisma não se mantém, as obras morrerão. É melhor diminuir as obras e que o carisma seja mantido. Ou seja, voltar à mensagem fundamental dos fundadores enfocada no Evangelho".

O cardeal explica a importância de voltar às raízes e mostra que na história houve casos de congregações que tinham um só membro vivendo autenticamente sua missão e depois voltaram a ter 3.000 membros.

"Se não se tem como centro a graça pela qual nasceu a congregação, o carisma morrerá, se não se cuidar disso", disse Dom João de Aviz.

Outro desafio apontado pelo cardeal foram as relações entre as Ordens Religiosas. É necessário que exista uma maior comunhão entre elas, disse.

O Prefeito da Congregação para a Vida Consagrada mostrou que "Na Igreja temos que aprender a ajudar nos. Se um carisma sofre, necessita de outro que está em uma boa situação que possa ajudar. Porém, em todos os sentidos: economicamente, na formação, nas vocações. Quantas coisas pode-se fazer juntos para ajudar-nos Às vezes estamos demasiados ilhados e isto nos traz dano!".

Dom João Braz de Aviz disse ser mais importante a autenticidade da missão que o número de membros ou instituições. O Cardeal vê sinais de esperança ainda que haja muito trabalho para ser feito. (JS)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://gaudiumpress.org/content/43901-Os-religiosos-devem-cuidar-mais-do-carisma-que-das-obras--afirma-Cardeal-Braz-de-Aviz. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Com a mão direita mostrava três dedos indicando sua Fé na Trindade, Com a esquerda indicava com u ...
 
O ponto auge dos protestos convocados espontaneamente como apoio ao Padre Rodolfo López e a religio ...
 
O ato ocorre por ocasião dos 175 anos de nascimento da jovem vidente e 140 de sua morte. ...
 
O Senhor lhe dará o trono de seu pai David; reinará sobre a casa de Jacó, e seu reino não terá ...
 
“Glória, louvor, honra a ti, ó Cristo Rei, redentor”. ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading